Opinião: Brasil, um dos maiores “economizadores” de água do mundo

Opinião: Brasil, um dos maiores “economizadores” de água do mundo

Chegamos no dia 22 de março de 2022 e, entre pandemias e guerras, não podemos jamais nos esquecer desse dia... o “Dia Mundial da Água”. Todos sabem que a água é essencial para a vida na Terra e move nosso desenvolvimento socioeconômico. Qualquer que seja a produção de um “bem” ou alimento, há necessidade de água.

Neste contexto, o Brasil, ao mesmo tempo que é um dos maiores exportadores de alimentos do mundo, também é um dos maiores economizadores de água para o mundo. Para exemplificar, a produção de um quilograma de grãos (milho, feijão, soja etc.), necessita uma média aproximada de 1.500 litros de água. O Brasil exportou, somente de soja grão em 2021, pouco mais de 86 milhões de toneladas.

Agora, imagine o volume de água que os países importadores economizam com a importação desses grãos brasileiros. Será que o valor dessa água economizada é considerado na venda? Talvez nunca pensamos nisso porque em aproximadamente 90% do território brasileiro, o volume anual precipitado passa dos 1.050 mm, o que já permite no mínimo uma ou até duas safras sem o uso da irrigação.

E mesmo quando as áreas são irrigadas, a não ser que haja cobrança da água, normalmente se computamos somente o custo da infraestrutura e da operacionalização dos sistemas de irrigação. Mas essa água tem custo para o brasileiro? Para responder essa pergunta é só analisarmos se existe custo para preservar ou restaurar as áreas de preservação permanente (APPs) e reserva legal, que por sua vez, manterão a estabilidade do ciclo hidrológico e a produção de água superficial e subterrânea, além dos regimes pluviométricos anuais.

Agora, há também, o fantasma das mudanças climáticas, que obrigará o Brasil a se planejar com possíveis alterações nos regimes pluviométricos para não depender exclusivamente do clima. Enfim, nesse Dia Mundial da Água nós brasileiros temos que nos orgulhar não apenas como um dos maiores produtores mundiais de alimento e economizadores mundiais de água.

 

Luiz Sergio Vanzela

Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Secretário Municipal de Meio Ambiente de Fernandópolis